terça-feira, setembro 18, 2007

A bela da guia... # 02

Como não há uma sem duas...

Pois é, recebi no mail do blog mais esta pérola da Serra da Estrela.

Tal como o leitor refere "Embora este guia (inteiramente português) seja já algo antigo (edição de 1994), é interessante verificar da análise desses enxertos, que afinal não somos os únicos "do contra" e observando, atentamente, verificamos que do que referem, nada praticamente mudou. Aliás piorou... (e que de maneira)."

Ora vejamos:

Dados do guia / livro

Nome: Serras de Portugal
Editora: Gradiva - Publicações, Lda.
Autor: José Manuel Fernandes (Director Editorial do Jornal Público)
Fotografias: Mauricio Abreu (Fotógrafo Profissional)
Ano de Edição: 1994
Páginas: 204

A capa
Os autores

Vejamos então o que é referido no guia:


Será que li bem? Queijo falsificado? Aguardente de zimbro sem bagas? Enchidos de fábrica? Recordações de mau gosto? Barracas improvisadas? Lixo e instalações em ruínas?

Mas... mas que é isso de "praga das construções clandestinas e abarracadas"? Esta gente será que conhece a Mini-cidade de montanha das Penhas da Saúde, tão publicitada internacionalmente pelo Sôr Presidente da Câmara, onde construções do mesmo tipo vão ser legalizadas?


Estão doidos estes autores... só pode... comparar "as zonas de crescimento dos aglomerados urbanos do Parque Natural" com os "arredores de Lisboa, do pior e mais desastroso que possa existir no concelho de Loures, Sintra e Cascais"... será que estão a falar mesmo da Serra da Estrela?

Xiii... dizer que o Sabugueiro está irreconhecível? Mas eu sempre o reconheci desta maneira... como o Marraqueche da Serra da Estrela... e agora vêm estes tipos dizer que está irreconhecível?! Sinceramente...

E ora digam lá que "o contraste entre as casas de granito, as construções do tempo do volfrâmio e as novas maisons" não são algo mesmo típico da nossa zona?

-------------------------------------

Depois do que acabo de ler a única coisa que me apetece dizer é: qualquer semelhança com a realidade, é pura coincidência..."

Estes textos foram publicados em 1994... depois de 13 anos o que é que mudou?

Infelizmente pouco ou nada. Talvez a única coisa seja mesmo "as barracas improvisadas como as da Feira da Ladra", que agora estão improvisadamente instaladas num improvisado pseudo-centro-comercial...

Se estivessemos noutro País, talvez as coisas pudessem ter mudado, talvez os responsáveis por estas situações pudessem ser responsabilizados, talvez a população em geral tivesse ganho um pouco mais de consciência em relação ao que é estar num território protegido, talvez, talvez, talvez...

Infelizmente é o País que temos... há que continuar a "lutar" para ver se algo muda!

-------------------------------------

Para finalizar, gostaria de deixar uma mensagem de revolta para os senhores da RTSE, da Turistrela, do Parque Natural, das várias Autarquias e das várias Freguesias, por continuarem a destruir todo o potencial que a Serra da Estrela podia ter!

Continuem a apostar num turismo não sustentável, num turismo de modas (passageiras), num turismo sem identidade local, num turismo do "ir e vir" no mesmo dia, num turismo SEM VISÃO, que é esse turismo que irá aniquilar qualquer tipo de desenvolvimento que a Serra e suas populações pudessem vir a ter!

O único alento que tenho, é que daqui a uns anos, todo o mal que tenha sido feito à Serra da Estrela irá ter um nome... o vosso nome... o nome das pessoas que estiveram à frente dos organismos atrás referidos e que nada fizeram em prol daquilo que deveria de ser feito na Serra da Estrela!

Só é pena que nessa altura não se possa voltar atrás e repôr tudo como estava antes, pois será demasiado tarde!...

7 comentários:

"O Padrinho" disse...

13 anos depois parece que nada mudou...

TPais disse...

Na verdade até mudou....para pior!As Penhas Douradas já não se parecem com as zonas degradadas de Sintra nem Lisboa, mas sim com zonas de cidades onde o indice de construção é avassalador!Reparem bem na quantidade de gruas que se vê ao chegar às penhas!A feira da ladra na Torre virou permanente, já não é de vez em quando, e brotam novas edificações com esgotos a vazar para todas as ribeiras que alimentam as povoações dos vales! A estancia de esqui esventrou lages de rocha e encanou as ribeiras que por lá passavam! A estrada ganhou terreno na batalha com a paisagem e finalmente o ICNB tem cada vez menos capacidade para contralar e conservar o que quer que seja!
Para mim, mudou muita coisa, infelizmente foi para pior, pois tudo o que acima referi em nada contribui para que as populações locais melhorassem as suas condições de vida e o seu desenvolvimento.
Triste retrospectiva esta!!
PS:Só para recordar que a "direcção fimre" responsável pela demolição das barracas na Nave de Santonio se deve em grande parte ao Eng Carlos Pimenta, ex ministro do Ambiente e comuma visão notavel!Aproveito para transcrever uma declaração sua relativamente à instalação de Parques Eolicos:
"é imprescindível compatibilizar o ordenamento do território e a conservação da natureza com a energia eólica.", defende"a criação de zonas de produção de energia eólica, em conjunto com zonas agrícolas e industriais, e a definição dos locais onde se pode ou não instalar parques eólicos."()"Portugal tem de se mostrar mais preocupado com a sua ineficiência energética e com o cumprimento do protocolo de Quioto"

Penhas disse...

Gruas nas Penhas Douradas?

Está com os binóculos ao contrário ou a velocidade de disparo é tal que foi erro de "simpatia"?

Para quem conhece tão bem a Serra, corrija-se sff.

TPais disse...

Saúde Penhas, Saúde! Sempre atento aos erros dos outros e menos aos seus! Saúde Penhas!

Penhas disse...

Muito lhe agradeceria se igualmente me corrigi-se, quando preciso fosse em sua opinião!

Ao contrário de si, não tenho a veleidade de supra-sumo da sabedoria.

Retribuo os votos de saúde, que bem deve precisar quando anda por esses seus poluídos(?) trilhos, coisa que nas Penhas Douradas não temos nem "pelgas" para nos "atazanar".

ljma disse...

Não tem a veleidade, Penhas? Mas olhe que fala mesmo, mesmo como se a tivesse... Ou então somos nós, tão supra-sumos, que não o entendemos na sua tão humilde, mas vera, simplicidade... ;)
Ai, ai, os maus vinhos...
José Amoreira

Penhas disse...

Prof. Dr.:
Não fala o roque k não venha logo a amiga ... ...

Até parece que o Sr. tpais precisa de advogado!!!

Continua o Sr. Prof. Dr. com a mania de k é Deus no Céu e ljma na Serra da Estrela?

Olhe k não, olhe k não...!

E ainda não curado das habituais fobias, mastigou Amanita Muscaria lá pela Curia?

Ai, ai...