sexta-feira, agosto 24, 2007

Uma piscina nas Penhas com certeza

Ainda se lembram desta piscina? E quantos anos é que já passaram desde o seu encerramento?




Bons velhos tempos em que os veraneantes da zona das Penhas da Saúde tinham esta infraestrutura ao seu dispor. De um ano para o outro, o portão que dava acesso a este espaço deixou de se abrir e já lá vão uns anitos...

O que eu pergunto é porquê?

Será que esta infraestrutura não seria uma mais valia para toda a zona das Penhas da Saúde e para as pessoas que passam ali uns dias no Verão?

Ou será que há interesses por trás desta atitude por parte de quem detém o controlo desta infraestrutura?

Há uns tempos disseram-me que a responsabilidade desta situação era da empresa concessionária do turismo na Serra da Estrela e que a mesma não se mostrava interessada em reabrir esta piscina com vista a que os interessados se desloquem até à piscina que existe no Hotel Varanda dos Carqueijais.

Se é verdade ou não, não consegui confirmar tal informação, mas uma coisa é certa, uma infraestrutura deste género, que é praticamente auto-suficiente e sustentável não tem justificação para manter as portas fechadas.

Em jeito de conclusão restam-me dizer três coisas:

1 - em relação ao presidente da CMC, uma mini "qualquer coisa" de montanha deve ser constituída não apenas por chalets dubiamente legalizados, mas também por infraestruturas que sirvam a população (sem entrar em megalomanias, claro).

Para quem em tempos referiu que "mais importante que as florinhas são as pessoas", este post relata um belo exemplo de como são tão bem tratadas as pessoas nesta sua mini "qualquer coisa" de montanha.

Talvez os milhões que estão a ser gastos na piscina-praia-imitação-da-piscina-praia-de-Castelo Branco, pudessem ser em parte aplicados na recuperação desta infraestrutura.

2 - relativamente aos responsáveis que gerem os 100 milhões de euros do programa PITER, será que não têm uns trocos para recuperar este local?

Esta centena de milhões de euros será provavelmente a última oportunidade para se fazer algo de jeito com a nossa Serra. Cá estaremos para avaliar a sua aplicação.

3 - por fim, e para quem de direito, será que não seria possível "entregar" a infraestrutura em causa a quem deveras estivesse interessado em a explorar? Certamente haveria alguém interessado na mesma, ou não?

Em vez disso o que temos? Uma piscina que de ano para ano se vai deteriorando cada vez mais, e que quando a quiserem reabilitar, certamente muito mais caro irá ficar esse trabalho.

Enfim... é o que dá sermos um País rico...

5 comentários:

Rui Peixeiro disse...

Olá,

Neste ponto, e ao que sei, tenho de dar todo o valor à Turistrela.

Foi à cerca de 3 ou 4 anos que a piscina abriu pela última vez.
Abertura sempre da responsabilidade da Turistrela.

As condições podiam não ser as melhores, mas para mim, até estava perfeito. Sempre a achei muito bonita, bem enquadrada, água limpa, mesitas para piquenique, e aquelas velhinhas e históricas espreguissadeiras amarelas vindas da antiga Torralta!!! Que saudades...

Depois, a Turistrela cedeu a concessão à Junta de Freguesia das Cortes e nunca mais abriu.
Só não consigo precisar se a última vez que abriu foi já na consessão da Junta de freguesia ou ainda na Turistrela.


Essa transferencia de consessão, foi na altura publicada num jornal qualquer. Num blog das cortes, lembro-me de ter visto uma imagem disso.


Esperemos que os €€€ do Piter, dêm algumas coisa de novo aquela piscina, mas não a destruam para a "modernizar" demasiado.

Blog Cortes do Meio disse...

Caro Rui Peixeiro,

tem toda a razão,foi no Blog Cortes do Meio. Como informação complementar sugiro que consultem o seguinte link: http://cortesdomeio.blogs.sapo.pt/25391.html
Efectivamente, a Junta de Freguesia de Cortes do Meio transferiu a exploração da piscina para a Turistrela, isto nos anos 90. No início deste século a Turistrela devolveu a piscina à Junta de Freguesia de Cortes do Meio; esta, por falta de incapacidade, ou pura incompetência de gerir as infra-estruturas existentes na freguesia, deixou a piscina ao abandono, simplesmente lamentável.
Recordo-me perfeitamente dos mergulhos que dei nessa fantástica piscina natural de águas cristalinas.
Os responsáveis pela gestão deste e outros espaços deveriam ser judicialmente responsabilizados uma vez que, não preservam o património que é de todos nós.

ljma disse...

Passei este Agosto uma semana de férias nas Penhas da Saúde com os meus filhos, como há anos (há já muitos anos, penso cada vez mais apreensivamente) as passava, com a minha avó.

Nessa altura, os arruamentos eram de terra, e fazíamos deles grandes pistas de ciclocross. Brincávamos na rua sem o menor medo dos carros. Jogávamos à bola sem que os adultos tivessem medo de nos ver cair pelos altos taludes construidos quando se requalificaram os arruamentos. Passeávamos pelas redondezas à tarde, mas as manhãs eram na piscina e as noites em paleio (e namoriscos) olhando as estrelas.

Sem piscina, sem ciclocross, sem estrelas, o que é que os meus filhos têm que os atraia, hoje em dia, nas Penhas da Saúde, porque razão hão-de eles ansiar, como eu ansiava, as temporadas na serra?

Quem planeia e desenvolve o turismo nas Penhas da Saúde alguma vez pensa nas respostas a dar a estas perguntas? É que as que os meus filhos fornecem revelam uma avaliação muito negativa da evolução das Penhas da Saúde como destino de férias.

Por outro lado, nota-se cada vez menos gente nas Penhas. Agosto (que sempre foi o mês mais concorrido) já não é nada do que foi em tempos. Assim, é possível que a piscina já não seja rentável. Pode ter sido por essa razão que a Turistrela cedeu a sua exploração a terceiros.

PTT disse...

Qual é a outra piscina existente na zona?

Quem é o proprietário do bar?

Quem é o proprietário da estrutura hoteleira?

Então para que ter duas estruturas, 2 funcionários, 2 contabilidades se podemos anexar tudo numa só??

Pura aritmética da ESCOLA DO CADELA.

Anónimo disse...

Penso que os responsáveis das Cortes também devem ter alguma dose de responsabilidade!!!