quinta-feira, maio 03, 2007

Em todo o lado menos aqui!!!!!

Por falta de tempo (e não de temas), desde o dia 23 de Março que não actualizava o blog, mas hoje, por muito que tenha para fazer, não posso ficar indiferente ao e-mail que recebi.

Este é um daqueles posts que “mais vale uma imagem que mil palavras…”

Veja o que se segue e vai perceber ao que me refiro:



















Que lhe parece caro leitor?

Quanto a mim, acho que vão ter que existir responsáveis em relação a esta pouca vergonha!
Já não chegaram os transportes de neve que denunciei aqui no blog, agora acontece uma coisa destas?
Para mim o que se passou no Covão d’Ametade é algo inadmissível! O Covão d’Ametade para mim (tal como para muita gente) é como um santuário que deveria de ser mantido o mais NATURAL possível!
Duvido que seja com mamarrachos deste tipo que se consiga manter o seu aspecto idílico! E já nem vou abordar o GRANDA PALHAÇO que andou de escavadora a fazer “pioscas” por todo o relvado! A esse individuo e ao seu chefe, só lhe desejo o dobro daquilo que me desejarem a mim, depois de lerem o que aqui escrevi em relação a eles!

PALHAÇOS (com as letras todas), tenham VERGONHA!

Relativamente aos “menires” que foram ali “plantados”, sinceramente… se é com coisas lindas como estas que se vão gastar os 100milhões que aí vêm, então o melhor é chamar desde já à nossa Serra… “Serra da Foleirice e afins”!

Solução para este problema?! Quanto a mim só haverá uma! Tirar de lá aquela m**** toda! (desculpem a linguagem os leitores mais sensíveis…)

E a ver se desta vez há culpados! Já chega da culpa morrer sempre solteira!

Veja a notícia também em:

http://www.ocantarozangado.blogspot.com/
http://picasaweb.google.com/ametade/Estaleiro

6 comentários:

Rui Peixeiro disse...

Que estragação ali vai...
Não havia lá madeiras para fazerem umas mesas?
Pedras para uns locais de churrascos?

E transportar o material? tinha mesmo de ser com maquinaria pesada?

Em fim, mais um sitio em vias de destruição na nossa serra.
Que mais vão fazer? Pintar aquele edifício à entrada da cor daquilo que bebem antes de pensarem no futuro da serra (vinho tinto), por umas luzinhas para chamar a atenção, alcatroar por lá uns caminhos dentro?

Em fim... Vamos ver como remedeiam aquilo. Vejo serias dificuldades em ainda reaparecer relva este ano nos enormes sulcos criados pela retroescavadora.

Cova Juliana, obrigado por "desperdiçar" um pouco do seu tempo para denunciar mais esta atrocidade na Serra da Estrela.

Anónimo disse...

Alguém me poderia explicar como se poderiam "solucionar" ou "minimizar" os danos provocados com as máquinas no Covão d'Ametade?
Existe alguma maneira de voltar atrás? Ou já é tarde de mais para lamentações?
Obrigada

Rui Peixeiro disse...

Minimizar???
Bem... quanto às mesas e afins que lá colocaram, era muito bom que quem na Covilhã levou as duas grandes esferas de mármore do monumento do soldado desconhecido fosse ali também buscar aquilo!

Quanto aos sulcos, no mínimo espera-se de quem esta a fazer a obra que repare o pequeno muro de pedra junto ao rio e que alise o terreno, tirando os sulcos das rodas. Depois, só o tempo trará de volta a vegetação natural, o que por vezes pode levar anos, basta olhar para a Nave de Santo António para ver que mesmo passados mais de 10 anos sem lá andarem carros, ainda há troços dos antigos caminhos que ainda não ganharam erva...

Ema disse...

O meu filho de 9 anos ao ver estas fotos comentou: "então aprendi na escola que não se deve fazer fogo perto de zonas com árvores, e ali andam a pôr TANTAS churrasqueiras?..."
Inocência de criança, não?

ljma disse...

Olá! Fui hoje e manhã ao Covão da Ametade. A coisa não me parece tão feia como estava quando estas fotos (que o Cova_Juliana aqui e eu no Cântaro Zangado usámos) foram tiradas. É verdade que as margens do Zêzere naquele lugar ficaram desfeitas e que o relvão foi à vida, mas não em toda a extensão do trajecto usado pelas máquinas. O Covão da Ametade ainda é o Covão da Ametade, parece-me. Mas, claro, agora temos que ter mais cuidado a tirar fotografias, não vá um (ou mais) destes altares ao Deus dos Grelhados insinuar-se no retrato...
Isto é, de facto, uma foleirice. Se não conseguimos que as nossas cidades cresçam bonitas e harmoniosas, e (também por isso) gostamos de fugir quando podemos para a Serra, não podemos ficar contentes com esta "beneficiação".

Saudações, Cova_Juliana! Já tinha saudades!

Chinca custilos disse...

Corram com os parolos das mercearias