sexta-feira, dezembro 29, 2006

Queixa... # 01

A sucessão de notícias sobre a Serra da Estrela e os milhões prometidos, fez-me entrar no google e pesquisar por várias palavras, entre elas Turistrela.
Queria tentar perceber porque é que cada vez que há uma reportagem na nossa Serra, os intervenientes têm que ser sempre os mesmos... um administrador da Turistrela e o presidente da RTSE.
Nisto, em menos de 1 segundo, lá sai a maravilhosa listagem de sites, relacionados com a palavra Turistrela, mas há um que me desperta a atenção:

:: Queixa: Turistrela :: Tipo: Inconpetência :: ...

(faça você mesmo a pesquisa e constate…)

Pelo que se pode imediatamente perceber trata-se da queixa de um cliente contra o serviço prestado na Estância da Esqui da Serra da Estrela. Apesar de ser de 2004, acho importante revelar o conteúdo da mesma.... Assim sendo:

queixa / reclamação nº: 6455
autor: Albertino Fernandes
entidade visada: Turistrela
tipo de queixa / reclamação: Incompetência
data: 2004-01-04 17:33:22

Texto da queixa / reclamação:

Vou transcrever abaixo o teor de um email enviado á turistrela a propósito da qualidade do serviço na estância de ski da serra da estrela.

Ex.mos Srs (quem quer que dirija a ?estância? e que se interesse pelo bem estar dos utentes). Após dez anos de ausência, devido à notória falta de condições para a prática do ski, período durante o qual deixei o meu dinheiro espalhado por várias estâncias no estrangeiro, decidi, motivado pela abundante publicidade, (directa e indirecta) nos mais variados meios de comunicação social, visitar a Serra da Estrela, afim de poder usufruir dos melhoramentos anunciados, e já agora gastar o ?papel? em território nacional.

Da experiência desse dia (03-01-2004), não resisto a partilhar convosco os pontos mais altos:

Morando em Lisboa e procurando aproveitar ao máximo o dia, não restou outro remédio senão levantar a família às 5h00 da manhã (exactamente) e fazer-me à estrada (esta sim excelente), por volta das 6h00. Três horas e meia e trezentos e trinta quilómetros depois chego, na hora de abertura, e, aqui primeira surpresa: O ?novo? parque de estacionamento, tanto quanto me foi dado ver, resume-se a um alargamento das bermas da estrada, ao qual faltam marcações adequadas, o que permite que cada um estacione como quer, ocupando, com um único veiculo, o maior número de espaços que conseguir, ou que a sua consciência deixar.

Estacionado o automóvel e vestido o equipamento, procuro inteirar-me a que se deve a fila de duzentos metros que se forma na entrada do edifício principal. Consigo apurar que por um lado a venda de ?forfaits? se iniciou pelas 9h30 (então não começou às 8h30 como diz no site? Perguntei, afinal era das poucas informações úteis disponíveis (tarifário nem vê-lo) pois, deve ser só para fazer bonito na net, resposta dos meus companheiros de infortúnio). Para ajudar à festa a fila única servia necessidades tão dispares como utentes equipados a quem só faltava o forfait (venda que se faz num minuto), utentes que só necessitavam de parte do equipamento (esquis ou prancha de snowboard)(dois minutos) e aqueles que necessitavam de tudo (esta sim mais demorada). Ou seja em vez de despachar sessenta forfaits por hora, libertando a fila dessas pessoas, obrigam-nos a secar horas em pé, afinal sempre se podem encostar aos seus esquis ou pranchas de snowboard. Lindo.

Pelas onze horas (mais ou menos na altura em que as crianças começaram a ficar com os lábios azuis, recebemos a notícia de que o estação estava superlotada???? (nunca viram Sierra Nevada ou Candachu ao fim de semana com certeza), que não havia mais material para alugar (material eu tenho gritei, só preciso do forfait, estamos lotados, então não vê as ?bichas?) confesso que por mais que olhasse só consegui ver filas e razoáveis por sinal, mas enfim, quem conduz o comboio é que sabe em que estações quer parar. Propõem-nos que utilizemos a pista artificial de Manteigas, mal comparado é como ir para um jantar romântico, com expectativas de uma noite de paixão e proporem-nos a troca por uma sessão de auto-masturbação, não é definitivamente substituto á altura. E de tarde, ainda perguntamos, sem que obtivéssemos resposta. O desconhecimento e a desorganização, a par da falta de consideração para com os utentes parecem ter sido objecto de sólida formação por essas bandas.

Estando a aproximar-se hora do almoço resolvemos consumir a ?bucha? com que planeáramos enganar a fome entre duas descidas.

Durante o repasto deleitamo-nos com o espectáculo da descida dos ?tobogans?, ziguezagueando vertiginosamente por entre os esquiadores e praticantes de snowboard, nas pistas pois claro, sem que ninguém intervenha, (se calhar é uma novidade, diz-me a esposa). Outros motivos de interesse são a corrida entre as pechas e as cadeiras que estas ultimas ganharam por margem mínima, as manifestações de civismo tipicamente Português, traduzido nos constantes golpes aos trouxas que respeitam as filas (ou ?bichas? na terminologia da casa) e por fim no cuidado com a segurança dos utentes, espelhados nos quinze segundos de espera entre a abertura do sistema de segurança das pechas e o início efectivo da subida, e, no afunilamento para duas cancelas nas cadeiras de quatro (4) lugares, resultando na subida sistemática com metade da lotação, reduzindo assim o peso suspenso e a possibilidade de acidente. Um efeito benéfico colateral é o aumento do tempo de espera na fila (ou ?bicha?), o que permite a total recuperação do esquiador do esforço despendido na descida, é sabido que o cansaço aumenta a possibilidade de acidentes. No fim da refeição mais uma surpresa, contentores para o lixo?? deve ser luxo e o investimento não chegou a tanto, pois que nem vê-los.

Chegada a hora da verdade procurei, junto com um dos rebentos, as instalações sanitárias, no edifício principal. Com a porta de entrada fechada, sem qualquer informação que diga se o facto se deve a indisposição do pessoal, horário de almoço ou outra causa (mais uma manifestação de consideração e deferência pelos utentes) dirigi-me à porta da entrega de material, (não pode entrar, só pelo outro lado, lançou-me. Mas, a porta está fechada e a miúda está quase a fazer nas calças, implorei. Vá lá entre, é aí à esquerda). Nessa altura reparei que porta-skis, com ou sem chave, de borla ou a pagar, são objectos difíceis de encontrar por estas bandas, eu pelo menos, não consegui ver nenhum. Chegados ao WC quis pendurar o blusão (só se for na maçaneta da porta, informou-me outro utente, obviamente já veterano). Concluída a tarefa quis lavar as mãos, (água quente?? Pensa que está num pais rico? Sabão? Com este frio não à micróbio que resista. Utensílios para secar as mãos? (secador, toalhas de papel). Para que quer afinal a pescoceira e o cachecol?

A pontos de desistir, por fim passo novamente pela entrada, e espanto, verifico que está novamente funcional (mistério!!!), coloco-me na fila e grande sorte, sou informado que forfaits, já havia (se era a reserva da tarde ou o fornecedor entregou novos não consegui apurar). A sorte continua, sou o primeiro dos que não conseguiram entrar (pois claro, nova manifestação de deferência pelos pobres coitados, determina novo fecho da porta, nas mesmas condições anteriormente descritas). Resta-me aguardar. Ao fim de uma hora, desisto definitivamente, vou brincar na neve com os catraios e outros companheiros de provação e, por fim cumpro os trezentos e trinta quilómetros de regresso (claro mais três horas e meia, desta vez de noite para ter mais interesse). Num último relance reparo num cartaz publicitário que reza mais ou menos ?a serra, de semana é um descanso?. Não posso deixar de pensar que de facto sem utentes isto é mais fácil de gerir, afinal nós é que estragamos tudo.

Sem outro assunto

Até daqui a dez anos
Albertino Fernandes

PS: Afim de partilhar com o maior número de pessoas possível esta maravilhosa experiência, vou enviar esta missiva a todos os meus amigos e entidades que me lembrar, nomeadamente as que vos publicitaram. Assim ao irem esquiar para a Serra vão preparados (sacos do lixo, sabão, toalhas de papel, botas, esquis... forfaits é mais difícil, mas à sempre alguém farto, que nos cede o dele por cinco euros e como os da manhã funcionam até às quatro da tarde, segundo ouvi, estão safos)

Entidade visada foi notificada em: 2004-01-04 17:33:22
Obteve resposta da entidade visada : nao


Pergunta: É este o Turismo que ambicionamos para a nossa Serra?!

ps: retirado de www.queixas.co.pt/popup.php?id_queixa=6455

4 comentários:

newsubstance disse...

Lindo. Dificilmente alguem cá da terra descreveria melhor o que por aqui se passa. Por estas e por outras é que nunca me die ao trabalho de praticar qualquer desporto de neve :P

anninnis disse...

:D

famel disse...

"Vá p fora cá dentro"...m n vá p tds os sitios...

famel disse...

A juntar à queixa do papá do menino, que perdeu a orientação, saiu fora da pista e partiu a cabeça nos calhaus que estavam à volta.
Resposta dos responsáveis "vá queixar-se ao s. pedro, pk foi ele o culpado d n ter nevado e deste modo as pedras estarem a descoberto"

Isto é ironia minha, m n m admira k um dia aconteça e seja esta a resposta!!!!